Home Artigos ARCHICAD 21: conheça as inovações no fluxo de trabalho OPEN BIM

ARCHICAD 21: conheça as inovações no fluxo de trabalho OPEN BIM

O ARCHICAD 21 é uma versão inovadora da GRAPHISOFT, sendo o primeiro a incorporar o projeto baseado em regras para o BIM

Primeira inovação: IFC Hotlink

A GRAPHISOFT é muito forte em interoperabilidade e foi uma das pioneiras da iniciativa Open BIM, baseada em IFC, para promover padrões abertos e fluxos de trabalho entre aplicativos AEC para o projeto colaborativo, construção e operação de edifícios.

O ARCHICAD 21 faz melhorias adicionais em seu fluxo de trabalho aberto do BIM para juntar modelos multidisciplinares para coordenação de projetos, clash detection e gerenciamento de dados.

Os arquivos IFC externos, como os criados por engenheiros estruturais ou MEP criados por seus aplicativos especializados, agora podem ser colocados como hotlinks em projetos no ARCHICAD 21, permitindo que diferentes modelos disciplinares sejam vistos em relação ao modelo arquitetônico (Figura 1).

Esta é uma melhoria das versões anteriores, onde os arquivos IFC externos necessitavam de uma conversão prévia para elementos do ARCHICAD.

A nova capacidade de hotlinking evita a necessidade de converter os arquivos e também facilita a introdução de modelos atualizados no ARCHICAD – você simplesmente precisa atualizar o link no Hotlink Manager.

Claro, para que os arquivos sejam corretamente sincronizados, eles precisam ter uma origem comum como referência, que deve decidida pelos diferentes projetistas com antecedência.

Figura 1: Visualizando um modelo MEP trazido para o ARCHICAD como um hotlink. As substituições de padrão gráfico, tornando o modelo em cinza, foram usadas para facilitar a visualização.

Segunda inovação: mecanismo de clash detection incorporado ao software.

Além da coordenação visual permitida pela inspeção de modelos multidisciplinares em conjunto, o ARCHICAD 21 também atualizou sua capacidade de executar o clash detection entre esses modelos com um mecanismo de colisão interno incorporado, de modo que você não precisa de um plug-in ou ferramenta para esta funcionalidade.

Uma vez que os dois grupos de elementos foram definidos na nova ferramenta de detecção de colisão para executar o teste de interferência, todos os choques detectados podem ser vistos na paleta Ferramentas de Mark-up, que se abre automaticamente após a execução da verificação (Figura 2).

Para cada interferência, além de visualizá-la na tela, você também pode capturar a representação gráfica como uma marcação e exportá-la como um arquivo BCF (BIM Collaboration Format) para compartilhar com outros membros da equipe e consultores.

Com relação à forma como os dois grupos para a detecção de colisão são definidos, há uma grande variedade de opções e critérios de pesquisa que podem ajudar a identificar exatamente o tipo de conflitos a serem procurados.

Figura 2: Execução do clash detection entre o modelo Estrutural e os modelos MEP e visualização dos conflitos detectados.

Terceira inovação: gerenciamento de classificações com múltiplos padrões

Um terceiro aprimoramento no ARCHICAD 21 para melhorar a interoperabilidade e a colaboração é um novo Gerenciador de Classificação que permite que os diferentes elementos do modelo sejam corretamente classificados.

Além disso, isso torna o modelo mais organizado e os elementos mais fáceis de encontrar dentro do próprio ARCHICAD para executar as operações necessárias, e também ajuda a identificar corretamente os elementos quando o arquivo ARCHICAD é exportado, não apenas para processos de projeto concorrentes, como engenharia estrutural e MEP, mas também para processos a jusante, como planejamento e levantamento de quantitativos.

O ARCHICAD 21 vem com um sistema de classificação incorporado, mas também com a capacidade de importar uma variedade de outros sistemas, como MasterFormat, Uniformat, Omniclass, etc., que podem então ser usados para classificar elementos. Conforme mostrado na Figura 3, é possível que o mesmo elemento seja classificado usando múltiplos sistemas de classificação, de modo que, quando o modelo for exportado, ele pode ser usado por muitas aplicações que podem usar sistemas de classificação diferentes.


Figura 3: O novo Gerenciador de Classificação mostrando vários sistemas de classificação, alguns integrados e alguns importados e a capacidade de classificar o mesmo elemento usando diversos deles.

Fonte: www.aecbytes.com/review/2017/ARCHICAD21

 

Carregar mais artigos relacionados
Load More In Artigos
Comments are closed.

Leia também

Os sete Pecados Capitais de um Diretor de Construção na gestão de projetos

Autor: Eng. Luiz Henrique Ceotto (Partner at Tecnoenge Consulting) É na fase de projeto qu…