BIM não é Revit!

O objetivo deste artigo é dar minha opinião para tentar esclarecer o equívoco que está sendo criado no mercado da AEC que diz: “se você sabe Revit, então, você é um guru de BIM!”
Vamos dar alguns passos para entender melhor como chegamos a esta confusão.

Nos últimos anos estamos vendo muitos “profissionais” no mercado da AEC, alegando que são especialistas em BIM, e se você tomar um momento para ver seus perfis, você vai notar um padrão. Alguns vêm do CAD, modeladores 3D, usuários de Revit ou outros programas 3D, e às vezes se você tiver sorte encontrará um engenheiro ou arquiteto.

Eu as vezes tenho a sensação que as pessoas estão vendo em todos os lugares, BIM BIM BIM, e uma vez que não existe nenhuma regulamentação a respeito do título de “especialista em BIM”, de repente, todo mundo é uma especialista em BIM!
Infelizmente o que estes auto proclamados especialistas BIM estão fazendo é dar um tiro no pé, porque eles desmerecem o verdadeiro esforço necessário para implementar o BIM em um projeto. Eles desencaminham a gestão por acreditar que o BIM pode ser feito simplesmente por “aquele cara do Revit”.


Revendedores da Autodesk não podem ser contratados como consultores de BIM! Parem de enganar o mercado!

Consultoria e fornecimento de softwares são atividades conflitantes que não podem ser exercidas pela mesma empresa! Isso é anti-ético. O consultor deve ser alguém imparcial!

Diversas revendas autorizadas da Autodesk vem prestando serviços de consultoria em BIM! Como isso pode ser possível? Seria mais ou menos como você procurar um médico que somente receitaria remédios da Roche, por exemplo. Como é possível um revendedor ser consultor de uma plataforma aberta como o BIM? Antes de tudo essas revendas prestam um desserviço ao mercado confundindo, intencionalmente, implantação de BIM com implantação de Revit.

Junto com isso trazem todo o preconceito contra o formato IFC pois tem interesse em defender apenas formatos proprietários. Como isso ainda é possível? Somente no Brasil onde o atraso em relação à cultura do BIM é enorme e por esse motivo é presa fácil de lobistas comerciais. O mundo todo civilizado caminha para o Open BIM, ao passo que por aqui, as empresas, principalmente as públicas caminham para trás em direção ao BIM fechado, escravizadas a um único fornecedor e totalmente vulneráveis às suas políticas de preços.

Entendo ser normal que as revendas  façam consultorias específicas dos softwares que representam, porém devem ter o compromisso ético de esclarecer ao cliente que consultoria de software NÃO É E NÃO PODE SER CONFUNDIDA COM CONSULTORIA DE BIM.

A única coisa que essas revendas fazem é convencer o cliente que implantar o BIM é criar templates e inúmeras famílias! Isso não é implantação de BIM. Por favor parem de enganar o mercado!


Fuja dos pseudo-consultores!

Hoje em dia proliferam no mercado pseudo cursos e consultorias de “implementação BIM”. Começam a surgir “especialistas em BIM” com suas fórmulas mágicas, que normalmente levarão a fracassos. Vamos entender o motivo desses fracassos?A maioria desses “especialistas” não tem formação adequada e experiência prática em projetos (qualquer que seja a tecnologia, a gestão do processo de projeto estará sempre em uma camada superior do processo). Muitos deles são “professores do Youtube”, já viram?

  1. Pretendem introduzir o BIM a partir de “cursos práticos e baratos”. Meu amigo, não serão em 10 ou 20 horas que você e a sua empresa irão adquirir a competência necessária. Isso é apenas uma máquina de “caça-niqueis” para auto-promoção de palestrantes.
  2. Esses truques são disfarçados também sob o nome de “workshops, oficinas, seminários, etc.” São normalmente oferecidos por empresas de “pseudo-consultorias” ou empresas especializadas em “cursos de educação continuada” (eles utilizam sempre nomes chamativos).
  3. O perfil dos “consultores” normalmente é o de especialista em Revit com formação PMP (que não é adequada para design management), porém você não verá profissionais que estudam e publicam sobre o tema. Porque? Pois simplesmente eles não tem nenhuma produção intelectual além de blogs voltados ao marketing de “dicas e cursos on-line”.
  4. A abordagem dos “pseudos” é normalmente a seguinte: introdução ao BIM (tema fácil, dizendo das mudanças e das promessas da tecnologia), passam por definições superficiais de processo de trabalho, interoperabilidade, desafios, parametrização, etc. Em seguida, lógico, vem a prática!
  5. A “prática” consiste em implantar o Revit – e não o BIM – através do paradigma do “projeto-piloto” (que nunca funciona porque ele é ideal e não real).
  6. Os “pseudos” irão então deitar e rolar no desenvolvimento de famílias e templates e em “manuais de modelagem” (o que é isso?).
  7. Alguns, mais pretensiosos irão propor “fórmulas” para a implantação em escritórios de projeto (como se fosse possível padronizar isso, cada escritório tem suas características próprias, seu mercado próprio e uma cultura interna que precisa ser conhecida antes do estabelecimento de fórmulas mágicas)
  8. Em seguida irão confundir você, tratarão “coordenação de projetos” como “compatibilização de projetos” e ensinarão a fazer isso com softwares amadores: Navisworks ou Tekla BIMsight. Pronto! Está formado em 20 horas um novo “coordenador” de projetos produzindo gigabytes de “clash detections”.
  9. Irão se apoiar em sub-literatura. O Manual BIM da ASBea é o exemplo típico disso. Já fiz sua resenha aqui nesse blog e cheguei a conclusão que ele no máximo é uma “cartilha do tipo Sebrae”, fraquíssimo, fala “o que” mas não diz “como”.

Testemunhei pessoalmente em empresas bem conhecidas esses autoproclamados gerentes especialistas BIM usando o Revit ou Civil3D para elaboração de 2D básico ou criando modelos simples em 3D a partir de desenhos 2D. Isto não é BIM em nenhum lugar!
Sim, o Revit tem muitas aplicações úteis, não me interpretem mal, mas é impossível ele ser o Santo Graal do BIM, mesmo se ele for usado corretamente ainda não é suficiente para implementar completamente o BIM.
Vivo ouvindo constantemente de empresas despreparadas perguntar em desespero, “e essas empresas de modelagem 3D terceirizadas que anunciam na Internet e promovem Seminários? Ouvi dizer que podem transformar meu desenho 2D em modelos 3D num instante! Isso vai resolver tudo, certo?” Minha resposta a eles… é um modelo básico 3D não é a solução. O que diz o contrato? Qual é o seu escopo de BIM? Você tem um plano de implementação do BIM?

Os clientes estão demandando agora:

  1. Planos de Implementação BIM
  2. Modelagem feita por engenheiros e arquitetos como no mínimo cinco anos de experiência e não mais “modeladores” sem formação técnica.
  3. Arquivos de projeto em BIM modelados diretamente pelo profissional de projeto e não mais “traduções” CAD- BIM
  4. Coordenação espacial e relatórios de clash com softwares de alto nível como o Solibri.
  5. Sequenciamento da construção em 4D ligada com o cronograma através de softwares profissionais como o Synchro
  6. Listas de quantitativos automáticas ligadas diretamente em bancos de dados de orçamentos ou a sistemas como o SAP
  7. Visualização 3D em realidade aumentada com alta resolução
  8. Planilhas COBie para o gerenciamento das facilities.

Como você pode ver, o BIM influencia todos os processos importantes de trabalho na engenharia e arquitetura.

Implementá-lo corretamente e receber os benefícios reais dos novos métodos requer mais do que contratar uma empresa terceirizada!
Então, as perguntas que você deve se fazer ao final do meu post são:

1. Você está implementando o BIM, só porque o projeto exige?
2. Você quer realmente chegar trazer o BIM para sua empresa e melhorar sua posição no mercado?
Se você respondeu “Sim” para a pergunta n º 1… Lamento dizer que será extinto muito em breve! Cerca da maioria dos projetos em grande escala já estão sendo desenvolvidos em BIM. Os clientes estão cada vez mais conscientes do que o BIM realmente é e sabem o que esperar da sua empresa. Você está preparado para entregar? Ou você realmente acredita que pode enganá-los somente com modelos 3D?
Se você respondeu “Sim” para a pergunta n º 2… o BIM na verdade vai mudar a maneira de trabalhar. Requer um investimento em tempo e dinheiro, mas se você se concentrar em melhorias contínuas ao invés de esperar milagres em curto prazo, você o encontrará definitivamente.
Concluindo, só porque alguém em sua equipe está usando o Revit ou é um certificado/especialista em Revit, isso não faz dele um perito BIM, assim como ter uma moto não faz de você um piloto de GPMoto!

Carregar mais artigos relacionados
Load More In Artigos
Comments are closed.

Leia também

Master Class: Metodologia BIM aplicada em Grandes Projetos Internacionais

A Zigurat realizará uma Master Class “Metodologia BIM aplicada em Grandes Projetos Interna…